O desafio de sensibilizar a comunidade contra a Dengue

Anualmente as prefeituras de todo Brasil enfrentam o mosquito Aedes Aegypti. Ele é mais conhecido por transmitir a dengue, mas também é o vilão de outras doenças como zika e chikungunya, que podem gerar enfermidades como microcefalia e Guilhain-Barré.

A luta contra o mosquito demanda ações de diversos setores das prefeituras no combate ao mosquito como, Saúde, Limpeza Urbana, Saneamento e Comunicação.

Que a dengue pode matar, a maioria da população sabe. Mas afinal, onde está a dificuldade da Comunicação, em alertar a população sobre o tema? Na opinião da Agência Solis está no mesmo lugar onde o mosquito tem se proliferado.

“O problema está dentro das casas. Afinal, todos os dados apontam que os principais criadouros do mosquito estão nas residências. Mas como falar para o cidadão que ele precisa limpar sua casa, de modo a fazê-lo engajar nesta ação? E não dá para fazer o que todo mundo faz, ou seja, uma campanha publicitária cujo foco é ficar repetindo: dengue mata. Informar só isso não dá mais”, avalia o publicitário e diretor da Agência Solis, Tiago Fonseca.

Pensando nestas questões, a abordagem da Agência Solis para a campanha publicitária da Prefeitura de Uberaba no combate a dengue foi criada pensando em “ficar na cabeça” das pessoas e ao mesmo tempo tratar um tema pesado com leveza de forma a buscar o engajamento das pessoas nas ações de combate ao mosquito.

O VT no estilo de animação explica por meio da imagem e áudio o que fazer para eliminar os criadouros. As palavras descarte, tampe e vire estão no Spot e Gif dando objetividade a informação. Houve a decisão de falar da gravidade da doença, mas não reforçando a morte, mas sim a vida, já que no final da mídia, o fechamento é feito com “fique vivo, não de asas para o aedes aegypti”.

“Precisávamos dizer às pessoas sobre a necessidade de limpar o quintal, mas de forma simples, agradável e de maneira a mobilizar e sensibilizar não só uma pessoa da casa, mas a família, a comunidade. Para isso criamos uma campanha leve, mas chamativa e que aborda os principais problemas encontrados nas residências que são: vasilhames com água, caixa d’água destampada e objetos que acumulam água no quintal”, disse Fonseca.

As mídias produzidas serão utilizadas na TV, rádio, outdoor e redes sociais.

 

Compartilhe suas ideias.